Missão

Resolver problemas complexos de conectividade em todo o mundo utilizando inteligência de dados e tecnologia.

Visão

Nos tornar referência em inovação no mercado de telecomunicações e realizar uma ativação internacional até 2022

Valores

Trabalho em equipe, protagonismo, empatia e desenvolvimento pessoal.

A LGPD em vigor – O que muda para as empresas

A LGPD é a sigla para Lei Geral de Proteção de Dados, uma nova lei brasileira onde são estabelecidas regras sobre coleta, armazenamento, tratamento e compartilhamento de dados pessoais, impondo mais proteção e penalidades para o não cumprimento.

Quando falamos de privacidade virtual, especialmente para os usuários que utilizam redes sociais com frequência, a LGPD é um dos assuntos mais relevantes. Caso sua empresa trate informações de pessoas físicas, ela deve se adequar à lei. Sendo assim, é importante que as empresas estejam preparadas para lidar, o mais rápido possível, com a nova lei e se adaptar as suas operações, rotinas e políticas. Essa legislação atinge companhias de todos os setores e portes, mas principalmente grandes empresas.

Como as empresas devem se preparar para a LGPD?

1 – Você precisa compreender como sua empresa está adequada e se realiza um bom tratamento de dados. Neste caso, serão necessários dois perfis de profissionais: um responsável por tecnologia, e outro responsável pela parte jurídica e que domina a nova lei.

2 – Em seguida será realizada a parte prática: permitir uma soberania do titular dos dados. Ou seja, deve permitir que o titular ou usuário de qualquer serviço, online ou offline, tenha o controle sobre os seus dados coletados.

Basicamente, a empresa precisa disponibilizar mecanismos para que o titular compreenda como seus dados serão utilizados. A partir de agora os termos de uso ganham maior relevância e precisam estar mais claros, com punições explícitas contra eventuais descumprimentos dos termos.

A soberania também dá novos direitos ao usuário, que anteriormente não estavam tão claros, como a possibilidade de solicitar a alteração dos dados que ele tenha fornecido. Além disso, o usuário tem o direito de realizar a revogação dos dados, ou seja, a solicitação para que a empresa não possa mais fazer uso destas informações, e também a exclusão de dados, que é o direito que ele tem de solicitar que estes dados não sejam mais armazenados ou tratados pela sua empresa.

Quais são as punições previstas?

Os vazamentos de dados serão analisados pela ANPD (Autoridade Nacional de Proteção de Dados) e avaliados de acordo com a gravidade de cada caso. As empresas e fornecedores serão obrigados a relatar os defeitos às autoridades assim que tomarem conhecimento dos mesmos, e não poderão mais esperar que os vazamentos sejam consertados antes de se tornarem públicos.
De acordo com cada situação, é recomendável que a empresa divulgue publicamente o vazamento, cobrando também uma multa proporcional. As consequências vão desde advertências até multa simples de 2% sobre o faturamento anual (até 50 milhões de reais) ou multas diárias, cujo valor não pode ultrapassar o citado acima.

Seguir a LGPD vai além de somente cumprir a lei e evitar multas e penalidades, é ter respeito e compromisso com seus clientes, demonstrando uma preocupação com a integridade dos seus dados, mostrar que sua empresa é séria e honesta.

Mariane Almeida

Delivery Team Leader